A Paróquia

Paróquia Sant'Ana de Abranches

Origem:

A atual paróquia de Sant’Ana de Abranches, constitui a mais antiga colônia de imigrantes poloneses vindos da Europa para o Sul do Brasil. Em 1873, os poloneses se estabeleceram a maioria em Abranches e colônias vizinhas, tornando-se Abranches o centro.

Capela:

Neste local, construíram a primeira capela dedicada à Sant’Ana. Aos domingos e dias Santos, reuniam-se para a recitação do Terço, acompanhado de piedosos cânticos. Magoava-os profundamente a falta e um Sacerdote, que compreendesse sua linguagem, com quem pudessem confessar-se no próprio idioma. Conjecturavam, então, o meio de obter um Sacerdote polonês. Resolveram comprar um terreno, construir uma habitação e mandar vir um Sacerdote da Polônia. Para este fim, no ano de 1878, mediante contribuições voluntárias, reuniram a importância suficiente para a compra do terreno necessário para a Igreja, casa paroquial e cemitério.

Primeiros Sacerdotes:

A Capela de Sant’Ana de Abranches estava anexada à Paróquia de Curitiba. Por falta de Sacerdotes e especialmente poloneses, rara e só casualmente se realizavam as funções espirituais. O ano de 1878 foi de grande graça para Abranches. Chega à Colônia o primeiro Sacerdote polonês: o Padre Ladislau Grabowski. Durante três anos exerceu o ministério em Abranches, até 25 de abril de 1881. Sucedeu-lhe o Pe. Francisco Xavier Gurowski, que iniciou o Livro do Tombo; que consta o que vamos relatar a seguir:

Construção da Igreja:
Aos onze dias do mês de fevereiro de mil oitocentos e noventa e três, em presença dos muitos colonos polacos da Colônia de Abranches foi Benta a NOVA IGREJA DE SANT’ANA. Oficiou a Cerimônia da Bênção o Ilmo. Rvmo. Padre Vigário Geral Forense Alberto Gonçalves, com assistência dos Rvmos. Padres Francisco Soya e Capelão local Padre André Dzietkowicz.
Carta Pastoral de 24 de fevereiro de 1895: Exmo. Revmo. Dom José de Camargo Barros, Bispo de Curitiba anunciando aos seus diocesanos a Visita Pastoral. “No dia saleníssimo de vossa sagração episcopal, o primeiro pensamento que iluminou o vosso espírito e o primeiro desejo que brotou em nosso coração foi, como já vos dissemos, a lembrança de ir visitar-vos e derramar sobre as vossas famílias e sobre os vossos lares os tesouros das graças espirituais, que desde então o Espírito Santo depositou em vossas mãos. Jesus não se contentava em mandar os Apóstolos, porém ia Ele mesmo e deixando as comodidades da vida na Capital, palmilhou todos os lugares da Judéia, percorrendo todas as cidades e por onde passava ia derramando os benefícios do seu poder infinito e as misericórdias de seu coração compassivo. Ele nos ensinou que o verdadeiro Pastor é aquele que, deixando as noventa e nove ovelhas, vai procurar a centésima, aquela que se afastou do rebanho e achando-a, põe-na sobre os ombros e a restitui ao redil.”

Horários das Missas da Matriz:

  • Sábado às 19 horas
  • Domingo às 8h e 10h30min
  • Segunda-feira às 19h30min
  • Quinta-feira às 19h30min - Missa e novena da Medalha Milagrosa e Sant´Ana.